Título: Mosteiro de Santa Maria de Belém

Nível de descrição: arquivo

Datas extremas: 1767-1783

Dimensão: 2 maços

Nome produtor: Mosteiro de Santa Maria de Belém

História Institucional: O Mosteiro dos Jerónimos ou de Santa Maria de Belém é, conjuntamente com a Torre de Belém, um dos dois monumentos lisboetas classificados pela Unesco como Património Mundial. Situa-se em Belém, na Praça do Império, virado para o rio Tejo. Nele foram depositados os restos mortais de D. Manuel I, D. João III, D. Sebastião e do Cardeal D. Henrique e, também se encontram os majestosos túmulos de Luís de Camões e Vasco da Gama.

A génese deste mosteiro data de 1459, aquando da Bula de Pio II que confirma e instituiu em paróquia a ermida de Santa Maria de Belém, no Restelo, fundada pelo infante D. Henrique e doada à Ordem de Cristo em 1460.

A bula de Alexandre VI, em 1496, fundou canonicamente o mosteiro a pedido de D. Manuel, que doou a ermida à Ordem de S. Jerónimo.

O mosteiro começou a ser construído em 1502, pelo arquitecto Boitaca mas outros artistas participaram na sua construção: João de Castilho, Jerónimo de Ruão e Diogo de Torralva.

Expoente da arquitectura manuelina é o monumento arquitectónico mais grandioso da capital e um dos mais importantes em todo o país. A sua frontaria desenvolve-se na horizontal, sendo de realçar o indescritível portal manuelino e a torre rematada por uma cúpula concebida no século XIX, por um italiano. Deste ímpar conjunto arquitectónico há a realçar a Igreja de Santa Maria de Belém, coberta de abóbadas apoiadas em esbeltas colunas todas rendilhadas, o esplêndido claustro.

Sublinhe-se que, entre 1808/1813, se verificou a instalação das tropas de Wellington e do Hospital Militar britânico no mosteiro, o que obrigou ao fecho das arcadas superiores do claustro.

Âmbito e Conteúdo: Constituído unicamente por emprazamentos.

História custodial e arquivística: Estes documentos do Convento de Santa Maria de Belém foram incorporados no Arquivo Municipal Alfredo Pimenta, aquando da sua criação, de acordo com o disposto no capítulo XXIV do decreto nº 19.952 de 27 de Junho, republicado em 30 de Julho do mesmo ano.

Ingressos adicionais: Não se prevê a entrada de novas unidades de instalação.

Condições de reprodução: A reprodução deverá ser solicitada por escrito, através de requerimento dirigido ao responsável da instituição. O seu deferimento encontra-se sujeito a algumas restrições tendo em conta o seu estado de conservação ou o fim a que se destina a reprodução.

Condições de acesso: Comunicável.

Descrição do estado de conservação: No geral o arquivo está em bom estado de conservação.

Instrumentos de descrição: Catálogo disponível em suporte papel e electrónico.

Descrição Física: Bom estado de conservação.

Nota do(s) arquivista(s): O conteúdo informativo da “História Institucional” foi efectuada a partir de consulta dos seguintes sites: http://lazer.publico.clix.pt e pt.wikipedia.org.

Regras e Convenções: ISAD (G); NP-405







  topovoltar