Título: Eng.º Duarte do Amaral

Datas extremas: 1910 / 1973

Dimensão: 904 doc. (8 caixas)

Nível de descrição: arquivo

Nome produtor: Eng.º Duarte do Amaral

História biográfica: Duarte Pinto de Carvalho Freitas do Amaral nasceu em Guimarães a 13 de Novembro de 1909. Frequentou o liceu Martins Sarmento e licenciou-se em Engenharia Civil pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Foi casado com Dona Maria Filomena Campos Torcato, filha do Comendador da Ordem de S. Gregório Magno, da qual teve quatro filhos, Duarte Pinto de Freitas do Amaral, Pedro Pinto Freitas do Amaral, Diogo Pinto Freitas do Amaral e João Pinto de Freitas do Amaral.
Viveu a maior parte da sua vida em Lisboa, mas nunca esqueceu a sua terra natal, afirmando-se um verdadeiro bairrista merecedor da admiração dos seus conterrâneos. Prestou serviços na extinta Direcção Geral dos Caminhos-de-ferro e no Ministério das Finanças, onde desempenhou o cargo de Secretário do antigo Presidente do Conselho de Ministros e Ministro das Finanças, Dr. António Oliveira Salazar. Durante a 2ª Guerra foi delegado do Governo junto da Rádio Renascença. Foi, ainda Presidente da Comissão Reguladora dos Produtos Químicos e Farmacêuticos, Administrador, por parte do Estado, da Sacor, membro dos Conselhos Superiores da Indústria e dos Combustíveis, Presidente do Conselho Fiscal da Companhia Nacional de Navegação e Presidente da Comissão Concelhia de Guimarães da União Nacional. Contudo, foi como Deputado da Nação, pelo círculo de Braga, que defendeu os interesses da sua região, sendo considerado o principal impulsionador de um importante plano de melhoramentos na cidade e no concelho de Guimarães. A ele se ficou a dever a interferência e iniciativa de diversas obras em monumentos e edifícios públicos, entre os quais, o restauro da Igreja de S. Domingos, da Colegiada da Nª Sª da Oliveira, do Mosteiro de S. Torcato, do Paço dos Duques e muitos outros de igual importância. Duarte do Amaral foi homenageado com a medalha de oiro de Guimarães, cuja entrega foi feita em sessão pública no Museu Alberto Sampaio. Além desta condecoração, possuía a medalha de prata de reconhecimento Poveiro, a Grã-cruz do Infante D. Henrique e a condecoração de Comendador da Ordem de Cristo.
Duarte do Amaral faleceu em Lisboa a 16 de Julho de 1979, deixando para traz toda uma vida de luta em prol do engrandecimento e prestígio da sua terra.

História custodial e arquivística: Este conjunto documental ingressou no Arquivo Municipal Alfredo Pimenta através de aquisição por compra em 11 de Outubro de 1999.

Âmbito e conteúdo: Constituído essencialmente por documentação relacionada com as actividades do Eng.º Duarte do Amaral em assuntos de carácter administrativo e processual, envolvendo instituições, como a Direcção Geral dos Edifícios Nacionais, a Santa Casa da Misericórdia de Guimarães, o Ministério das Obras Públicas, os Serviços Hospitalares, etc. Contém, ainda alguma correspondência pessoal.

Ingressos adicionais: Arquivo em aberto.

Condições de reprodução: A reprodução deverá ser solicitada por escrito, através de requerimento dirigido ao responsável da instituição. O seu deferimento encontra-se sujeito a algumas restrições tendo em conta o seu estado de conservação ou o fim a que se destina a reprodução.

Condições de acesso: Comunicável, salvo os originais em mau estado de conservação.

Descrição do estado de conservação: No geral o arquivo está em bom estado de conservação.

Instrumentos de descrição: Catálogo em suporte papel.

Normas e convenções: ISAD (G)

  topovoltar