Título: Prefação
Página: 1


Título: Ao Leitor
Página: 5


Título: Protestação
Página: 7


Título: Da primeira repartição do mundo, e limites da Europa
Capítulo: 1.º Página: 9


Título: Descripção de Hespanha, e o que é descripção, ou traça
Capítulo: 2.º Página: 13


Título: Dos portos de mar da Hespanha
Capítulo: 3.º Página: 14


Título: Da divisão da Hespanha no tempo das Romanos
Capítulo: 4.º Página: 16


Título: Do reino de Portugal na comarca d’entre Douro e Minho
Capítulo: 5.º Página: 17


Título: Como o nome de Portugal nasceu do Porto
Capítulo: 6.º Página: 9


Título: Dos rios d’entre Douro e Minho, e fortalezas na costa do mar
Capítulo: 7.º Página: 27


Título: Dos Gregos primeiros povoadores d’entre Douro e Minho
Capítulo: 8.º Página: 32


Título: Dos segundos povoadores d’entre Douro e Minho
Capítulo: 9.º Página: 33


Título: Como os Gregos de Galliza entraram com Teucro entre Douro e Minho
Capítulo: 10.º Página: 34


Título: Como os Africanos foram os terceiros povoadores d’entre Douro e Minho
Capítulo: 11.º Página: 36


Título: Como os Gallos Seltas vieram povoar entre Douro e Minho
Capítulo: 12.º Página: 39


Título: Como os Bracharenses pelejaram com os Gallos no rio Lima
Capítulo: 13.º Página: 40


Título: Como os d’entre Douro e Minho foram fundar a cidade de Tui em Galliza
Capítulo: 14.º Página: 41


Título: Como estes mesmos fundaram Iria, e desbarataram os Gallegos
Capítulo: 15.º Página: 44


Título: Como Annibal veio buscar gente a entre Douro e Minho
Capítulo: 16.º Página: 45


Título: Como entre Douro e Minho elegeram capitão Apimano, e guerrearam os Romanos
Capítulo: 17.º Página: 46


Título: Das guerras de Decio Junio Bruto, com os desta provincia
Capítulo: 18.º Página: 49


Título: Como Decio foi com o exercito para Braga
Capítulo: 19.º Página: 51


Título: Como Decio pôs cerco à cidade de Acitania
Capítulo: 20.º Página: 56


Título: Como Norbano Calveo foi desbaratado nesta provincia
Capítulo: 21.º Página: 57


Título: Como Octaviano mandou seu exercito a Braga
Capítulo: 22.º Página: 60


Título: Das capitulações de pazes das Portugueses com os Romanos
Capítulo: 23.º Página: 63


Título: Dos sacrificios usados pelos Portuguezes d’entre Douro e Minho
Capítulo: 24.º Página: 65


Título: Como um Portuguez foi visitar Tito Livio, e ao outro pozeram estatua
Capítulo: 25.º Página: 66


Título: Das obras que nesta provincia mandou fazer Vespaziano
Capítulo: 26.º Página: 67


Título: Das estatuas levantadas a dous Portugueses, e ao imperador Adriano
Capítulo: 27.º Página: 69


Título: De como Trajano assolou a cidade do Lamego, e Acitania
Capítulo: 28.º Página: 71


Título: De como S. Thiago prégou em primeiro lugar na comarca d’entre Douro e Minho
Capítulo: 29.º Página: 74


Título: Como S. Pedro de Rates foi ordenado pelo dito apostolo, e foi o primeiro bispo de Braga
Capítulo: 30.º Página: 76


Título: Dos bispados que foram subditos da metropole de Braga
Capítulo: 31.º Página: 86


Título: Dos concilios que se tem celebrado em Braga
Capítulo: 32.º Página: 88


Título: Como no concilio de Lugo se dividiram os bispados desta provincia
Capítulo: 33.º Página: 94


Título: Do segundo concilio Bracharense a que prezidio S. Martinho
Capítulo: 33.º Página: 95


Título: Do terceiro concilio por mandado d’el-rei Bamba prezidindo Leodicio
Capítulo: 35.º Página: 103


Título: Do primeiro concilio Bracharense, que não consta na ordem dos concilios
Capítulo: 36.º Página: 111


Título: Do quarto concilio Bracharense
Capítulo: 37.º Página: 115


Título: Das arcebispos da metropolitana Sé de Braga
Capítulo: 38.º Página: 116


Título: Das primeiros martyres de Braga, e d’entre Douro e Minho
Capítulo: 39.º Página: 121


Título: Como foi achado o corpo de Santa Eufemia
Capítulo: 40.º Página: 130


Título: Do bispado de Dume entre Douro e Minho
Capítulo: 41.º Página: 135


Título: Dos marlyres S. Victor, e seus irmãs
Capítulo: 42.º Página: 139


Título: Da cidade de Briteiros, seus bispos, e sua destruição
Capítulo: 43.º Página: 143


Título: Como a cidade de Briteiros foi destruida por Almançor
Capítulo: 44.º Página: 147


Título: Da fundação da villa de Guimarães
Capítulo: 45.º Página: 151


Título: Do lugar da antiga Guimarães
Capítulo: 46.º Página: 153


Título: Da nova villa que hoje existe de Guimarães
Capítulo: 47.º Página: 155


Título: Como Muma Dona mandou fazer o castello de Guimarães
Capítulo: 48.º Página: 158


Título: Da entrada de Muma Dona no convento, e trasladação de Nossa Senhora, e doações
Capítulo: 49.º Página: 161


Título: Da nova villa de Guimarães
Capítulo: 50.º Página: 163


Título: Da divisão dos monges, e monjas do mosteiro de Muma Dona
Capítulo: 51.º Página: 166


Título: Como Portugal foi dado ao conde D. Henrique com titulo de reino
Capítulo: 52.º Página: 167


Título: O porque o conde D. Henrique veio á Hespanha, de sua nobreza, e patria
Capítulo: 53.º Página: 175


Título: Do casamento do conde D. Henrique, com a rainha D. Tareja
Capítulo: 54.º Página: 177


Título: Como o conde D. Henrique fez sua corte em Guimarães
Capítulo: 55.º Página: 179


Título: Como o conde D. Henrique foi á guerra santa, e a Jeruzalem
Capítulo: 56.º Página: 180


Título: Do nascimento d’el-rei D. Affonso Henriques
Capítulo: 57.º Página: 82


Título: Como D. Affonso Henriques fez o mosteiro de Mama Dona capella real, e foi guerrear
Capítulo: 58.º Página: 187


Título: Como S. Thiago entrou na Hespanba, e prégou entre Douro e Minho
Capítulo: 59.º Página: 188


Título: Como el-rei D. João o 1.º mandou reedificar o mosteiro de Muma Dona
Capítulo: 60.º Página: 204


Título: Da cabeça santa que está na sachristia da real Collegiada
Capítulo: 61.º Página: 210


Título: Do retabulo de prata que foi d’el-rei D. João 1.º de Castella, e está na dita
Capítulo: 62.º Página: 211


Título: Das reliquias que estão no Santuario da dita
Capítulo: 63.º Página: 212


Título: Das peças que estão no thesouro da dita
Capítulo: 64.º Página: 213


Título: Das capellas da dita Collegiada, e seus administradores
Capítulo: 65.º Página: 217


Título: Da congregação da real Collegiada de Guim.
Capítulo: 66.º Página: 219


Título: De como é immediata ao Papa
Capítulo: 67.º Página: 220


Título: Dos privilegios concedidos á Senhora de Oliveira
Capítulo: 68.º Página: 230


Título: Como os conegos de Nossa Senhora são capellães d’el-rei
Capítulo: 69.º Página: 242


Título: Das priores da real Collegiada, e do seu palácio
Capítulo: 70.º Página: 243


Título: Dos priores, e sua creação
Capítulo: 71.º Página: 244


Título: Dos conegos da real Collegiada
Capítulo: 72.º Página: 247


Título: Dos beneficias que apresenta a Collegiada
Capítulo: 73.º Página: 251


Título: Do Padrão ante a porta de Nossa Senhora da Oliveira
Capítulo: 74.º Página: 261


Título: Das milagres obradas por virtude da dita Senhora
Capítulo: 75.º Página: 264


Título: Do contracto de irmandade entre a collegiada de Tui, e a de Guimarães
Capítulo: 76.º Página: 288


Título: Do breve apostolico para a puridade das que hão-de servir esta igreja
Capítulo: 77.º Página: 297


Título: Carta regia para se guardar o dita Breve
Capítulo: 78.º Página: 299


Título: Da troca da igreja de Asurei com a pedra das esmolas do padrão
Capítulo: 79.º Página: 301


Título: Da devoção dos reis com esta Senhora, e em especial D. João o 1.º
Capítulo: 80.º Página: 302


Título: De como el-rei sendo mordido de uma cadella damnada, veio a esta igreja pesar-se a prata
Capítulo: 81.º Página: 305


Título: Da Romaria que D. João 1.º fez à Senhora da Oliveira antes que entrasse em Castella
Capítulo: 82.º Página: 307


Título: Da desculpa que deu el-rei D. João 1.º a Nossa Senhora de a não ter visitado antes de ir para Ceuta
Capítulo: 83.º Página: 308


Título: Do Scisma da igreja no tempo d’el-rei D. João o 1.º
Capítulo: 84.º Página: 309


Título: Da milagrosa Oliveira, e seu lugar e praça
Capítulo: 85.º Página: 311


Título: Das ruas de Guimarães, e seus nomes
Capítulo: 87.º Página: 312


Título: Da circumvalação da villa velha
Capítulo: 88.º Página: 316


Título: Dos arrabaldes da villa
Capítulo: 89.º Página: 319


Título: Dos vizinhos, mosteiros, e capellas de Guimarães
Capítulo: 90.º Página: 324


Título: Dos mosteiros, igrejas e capellas que tem Guimarães
Capítulo: 91.º Página: 325


Título: Dos mosteiros, igrejas, capellas, e hospitaes, que tem em seus arrabaldes
Capítulo: 92.º Página: 332


Título: Dos morgadas e vinculos dos moradores de Guimarães
Capítulo: 93.º Página: 357


Título: Dos Santos, e veneraveis naturaes desta villa
Capítulo: 94.º Página: 368


Título: Dos letrados illustres
Capítulo: 95.º Página: 384


Título: Dos que tem florecido em armas
Capítulo: 96.º Página: 389


Título: Dos privilegios concedidos a esta villa
Capítulo: 97.º Página: 409


Título: Das freguesias que Guimarães tem no seu districto
Capítulo: 98.º Página: 414


Título: Do nascimento, vida, e martyrio de S. Torquato
Capítulo: 99.º Página: 420


Título: De como appareceu o corpo de S. Torquato
Capítulo: 100.º Página: 422


Título: Dos concelhos coutos, e honras da comarca de Guimarães
Capítulo: 101.º Página: 424


Título: Do concelho de Unhão
Capítulo: 102.º Página: 428


Título: Do concelho de Riba Tamega
Capítulo: 103.º Página: 429


Título: Da Honra de villa Cais
Capítulo: 104. Página: 431


Título: Da villa de Canavezes
Capítulo: 105.º Página: 433


Título: Do concelho de Tuyas
Capítulo: 106.º Página: 432


Título: Do couto de S. Martinho de Soalhães
Capítulo: 107.º Página: 433


Título: Do couto de Taboado
Capítulo: 108.º Página: 433


Título: Do concelho de Gouvéa
Capítulo: 109.º Página: 434


Título: Do concelho de Gestaço
Capítulo: 110.º Página: 434


Título: Da Honra de Ovelha
Capítulo: 111.º Página: 435


Título: Da villa de Amarante
Capítulo: 112.º Página: 435


Título: Do concelho de Celorico de Basto
Capítulo: 113.º Página: 436


Título: Do concelho de Cabeceiras de Basto
Capítulo: 114.º Página: 440


Título: Do concelho de Mondim
Capítulo: 115.º Página: 479


Título: Do concelho de Attey
Capítulo: 116.º Página: 479


Título: Do concelho de Serva
Capítulo: 117.º Página: 480


Título: Do concelho de Hermello
Capítulo: 118.º Página: 480


Título: Do concelho da Ribeira de Penna
Capítulo: 119.º Página: 481


Título: Do concelho de Aguiar, sua villa e castello
Capítulo: 120.º Página: 482


Título: Do concelho de Jales, e villa de Alfarella
Capítulo: 121.º Página: 483


Título: Do concelho de Monte Longo
Capítulo: 122.º Página: 484


Título: Do couto de Moreira d’el-rei
Capítulo: 123.º Página: 485


Título: Do couto de Pedraido
Capítulo: 124.º Página: 486


Título: Da Honra de Cepães
Capítulo: 125.º Página: 486


Título: Da Honra de Roças
Capítulo: 126.º Página: 486


Título: Do concelho de Villa Boa da Roda
Capítulo: 127.º Página: 487


Título: Do concelho de Vieira
Capítulo: 128.º Página: 488


Título: Do concelho da Ribeira de Soás
Capítulo: 129.º Página: 489


Título: Do concelho de Parada do Bauro
Capítulo: 130.º Página: 490


Título: Do concelho de S. João de Rei
Capítulo: 131.º Página: 491


Título: Do couto de Pouzadella
Capítulo: 132.º Página: 491


Título: Do concelho de Lanhozo
Capítulo: 133.º Página: 491


Título: Do couto de Serzedello
Capítulo: 134.º Página: 493


Título: Do couto de Fonte Arcada
Capítulo: 135.º Página: 493


Título: Da jurisdição extraordinaria dos provedores de Guimarães
Capítulo: 136.º Página: 494


Título: Das rios, e pontes -vizinhas a Guimarães.
Capítulo: 137.º Página: 495


Título: Do rio Celho
Capítulo: 138.º Página: 496


Título: Do rio Herdeiro
Capítulo: 139.º Página: 498


Título: Do rio da Villa
Capítulo: 140.º Página: 499


Título: Da rio Avizella
Capítulo: 141.º Página: 500


Título: Das fontes publicas da villa, e arrabaldes
Capítulo: 142.º Página: 501


Título: Da compostura da Praça da Oliveira
Capítulo: 86.º Página: 311

 
  topovoltar