O primeiro órgão de imprensa periódica editado em Guimarães foi o Azemel Vimaranense, que era impresso na Tipografia Vieirense, em Guimarães. Não se conhece nenhuma colecção completa deste jornal, que se publicou com uma periodicidade irregular. Trata-se de um jornal defensor dos ideais do liberalismo, nascido em época de turbulência política, na sequência do juramento da Constituição. Terá terminado a sua existência por alturas da Vilafrancada.

No cabeçalho ostenta a seguinte quadra:
Aqui vão troando
Os ecos das bombas,
Que estouram nas trombas
dos Rinocerontes

O principal animador desta publicação foi José de Sousa Bandeira, à época escrivão de direito da comarca de Guimarães, liberal convicto, conhecido pela sua mordacidade da sua escrita que, alguns anos mais tarde, seria preso e condenado à morte, por causa das suas ideias políticas (foi salvo pela entrada do Duque da Terceira em Lisboa em 24 de Julho de 1833).

A Sociedade Martins Sarmento possui cinco exemplares do Azemel Vimaranense: n.º 3 (25 de Outubro de 1822), n.º 4 (30 de Outubro), n.º 11 (22 de Março de 1823), n.º 12 (4 de Abril) e n.º 16 (7 de Maio).


Número: 3
Data: 25 de Outubro de 1822

Número: 4
Data: 30 de Outubro de 1822

Número: 11
Data: 22 de Março de 1823

Número: 12
Data: 4 de Abril de 1823

Número: 16
Data: 7 de Maio de 1823

 

  topovoltar