A Sociedade Martins Sarmento dispõe no seu arquivo de manuscritos um curioso Álbum de Glórias, com uma inscrição em alemão gravada: Was murret ihr? (O que estais a resmungar?), que inclui duas séries de caricaturas delineadas entre Abril de 1905 e Agosto de 1907, onde se faz o retrato caricatural de mais de meia centena de personagens da Guimarães daquele tempo, de todos as condições e extractos sociais (o clero, a nobreza, a burguesia, a gente do povo). A maior parte das caricaturas está acompanhada por versos satíricos, da autoria do seu irmão João de Meira, tão genial quanto excêntrico.

As caricaturas e os textos dos irmãos Meira são um notável mosaico, muitas vezes impiedoso, dos tiques, dos caprichos e dos desatinos da sociedade vimaranense do início do século XX.

José de Meyra tinha apenas 17 anos na data da primeira caricatura do álbum. Foi colaborador dos jornais Nova Silva e a Farsa. Apesar dos seus dotes artísticos, estava-lhe destinado o mesmo ofício de seu pai, Joaquim de Meira, médico distinto que foi presidente da SMS, e do seu irmão João.

A morte levou-o jovem, quando frequentava na Universidade de Coimbra o 3.º ano do curso de Medicina, em 30 de Outubro de 1911. Contava então 24 anos.

Na Revista de Guimarães:


Mário Cardozo, «O caricaturista vimaranense José de Meyra (1887-1911)», Revista de Guimarães n.º 78, Guimarães, 1968, pp. 97-106 (com dez páginas de estampas em extra-texto).


  topovoltar