O Museu da Sociedade Martins Sarmento é um dos mais antigos museus arqueológicos portugueses. A sua primeira instalação data de 1885 e o seu núcleo central foi constituído com o espólio que pertenceu à colecção particular de Francisco Martins Sarmento, que o arqueólogo doou à instituição.

O Museu está instalado na sede da SMS. As suas secções arqueológicas distribuem-se por dependências do extinto Convento de S. Domingos (escadaria de S. Domingos e claustro gótico, ao qual, em finais do século XIX, foi sobreposto um segundo piso para funcionar como galeria do Museu). Mantendo, no essencial, a estrutura expositiva original, o Museu da SMS é também, nos tempos que correm, uma memória única das concepções museológicas da transição do século XIX para o século XX.

Os acervos do Museu distribuem-se por cinco secções:

  • Secção de epigrafia e escultura antiga (escadaria do antigo convento de S. Domingos, piso inferior do claustro e jardim).
  • Secção das indústrias pré e proto-históricas (galeria superior do claustro de S. Domingos).
  • Secção de numismática, esfragística e medalhística (galeria superior do claustro S. Domingos, em parte em reserva).
  • Secção de etnografia moderna (actualmente em reserva).
  • Secção de arte moderna e contemporânea (actualmente em reserva).

Por motivos de segurança, a Sociedade Martins Sarmento tem guardado, em cofre bancário, um conjunto de peças, nomeadamente objectos em ouro de grande valor patrimonial, que podem vir a constituir um dos principais centros de atracção de um Museu renovado.

  topovoltar