1
Fundo vimaranense
Régua, medida de comprimento, plana em madeira, com gravações, de um lado, as medidas de 0 cm a 100 cm e, do outro lado, as medidas de 1P a 5P. Séc. XIX/XX.
 

   2
Fundo vimaranense
Padrão de peso, em bronze, de meia arroba (7,380 kg) com uma pega. Séc. XV-XVI.
 

   3
Fundo vimaranense
Pé, medida de comprimento (0,295 m), em madeira e de forma paralelepipédica, com marcas de aferição camarária desde 1811 a 1858. Esta medida, afamada na indústria de Curtumes em Guimarães, servia para medir a sola do calçado.
 

   4
Fundo vimaranense
Padrão de peso, em bronze, de uma onça (0,057 kg) com uma pega. Séc. XV-XVI.
 

   5
Fundo vimaranense
Padrão de peso, em bronze, de um arrátel (0,459 kg) com uma pega. Séc. XV-XVI.
 

   6
Fundo vimaranense
Estalão, medida de comprimento, de ferro, com uma asa em espiral, para aferição de antigas medidas de comprimento (vara e côvado). Séc. XIX.
 

   7
Fundo vimaranense
Fragmento de pedra trabalhada e manuscrito a tinta preta com o seguinte dizer: "Em 9-2-1912; A 72(?) hora do dia /Esta pedra é da torre de S. Torcato= Desastre com um raio = ". séc. XIX.
 

   8
Fundo vimaranense
Côvado, medida de comprimento (0,1 m), em madeira e nas extremidades tem metal. Tem gravado as iniciais "RNL". Séc. XIX/XX.
 

   9
Fundo vimaranense
Vasilha troncónica, em cobre, de meia-canada (1 litro) com uma asa lateral. Medida padrão empregue na aferição camarária de líquidos. 1575 [?].
 

   10
Fundo vimaranense
Escudo de madeira, de forma oval, quebrado a meio. De fundo preto e decorado com o brasão real, a vermelho, branco, azul e amarelo. Pertenceu à Câmara Municipal de Guimarães, sendo utilizados na cerimónia da quebra dos escudos, que tinha lugar em sinal de luto aquando da morte de membros da família real. Séc. XIX.
 

 

  topovoltar