Ara votiva

Título

Ara votiva

Descrição

Em 1884 foi esta ara encontrada pelo Dr. José Sampaio, irmão do grande historiador Alberto Sampaio, na parede de uma casa da freguesia de Delães (V. N. de Famalicão) e oferecida ao Museu pelo seu proprietário Manuel António Dias. O nome do dedicante é Flaus ou Flavus. Sobre este antropónimo que tamhém figura numa inscrição do Museu de Bragança éncontrada num lugarejo chamado Lagomar, na freguesia de Donai (Bragança), freguesia esta onde a Soc. M. S.possue um dólmen (Ver M. Cardozo. Mon. Arq. da Soc. M. S.; cit., p. 40), consultar o O Archeologo Português., VI, p. 98 e 133, as Memórias Arq... cit., do Abade de Baçal, IX, p. 59, n.º 22, o Corpus Inscriptionum Latinarum, II, ,. 6293. Interpretação: A Brigus, Flav(u)s (filho) de Apilus, valabrigense, voto que de boa vontade cumpriu. Leitura: A Brigo/Flav(u)s A/pili Val/abri(g)e/nsis vo/tum s(olvit) l(ibens) / an(imo ) merito Invocação: BRIGUS

Pertence

Epigrafia

Identificador

24

Citações

Corpus Inscriptionum Latinarum, II; Grande Suplemento - 5561; Revista de Guimarães, XVIII, 47; Religiões da Lusitânia, de J. L. vasconcelos, II, 327 - 29; Rev. Lusitana, 1, 362; Dispersos, de F. M. Sarmento, 301 e 420; F. M. Alves, Memórias cit., IX, .p. 59; Religiones Primitivas de Hispania, I, de J. M. Blasquez Martinez., 75; DL 90; Algunsa consideraciones sobre los nombres de divindades del oeste peninsular, de A. Tovar e J. M. Navascués, 181